Como funciona a sedação em tratamentos odontológicos?

A sedação muitas vezes já é escolha do próprio paciente, do cliente que chega ao consultório do dentista decidido em fazer seu tratamento dentário, sua reabilitação oral sob o conforto da sedação.

Entretanto há casos em que o profissional é quem indica essa técnica de suporte, por sentir ao primeiro contato com o paciente e fazer o planejamento do tratamento, que não será possível trabalhar sem a ajuda da sedação.

A partir daí é que entra a escolha da técnica de sedação, de acordo com o perfil psicológico do paciente e da extensão do procedimento odontológico.

Quando o cliente faz sua primeira avaliação para o tratamento odontológico em si, seus dados de saúde atual, ou seja, seu histórico é colhido. Justamente essa anamnese é que vai ajudar também a definir, em primeiro lugar, se o paciente está apto a ser submetido a uma sedação, se precisa de exames complementares ou de uma avaliação com seu médico clínico geral, cardiologista, etc, enfim, uma liberação médica para tal, ou se poderá ser encaminhado diretamente ao anestesiologista para que faça a avaliação.

Sendo liberado para a sedação, receberá orientações com relação ao pré tratamento, com relação às possíveis manifestações no pós-operatório e as dúvidas com relação ao trans operatório, se vai “sentir”, alguma coisa, se vai “ouvir”, enfim, tudo será devidamente esclarecido.

Importante que se frise que o anestesiologista, além de sanar as dúvidas, avaliará o paciente e estará ao seu lado durante todo o procedimento, monitorado-o, para que a sedação e o tratamento odontológico em si obtenha o sucesso esperado.

A segurança de qualquer ato está na dependência da indicação correta e da observância dos preceitos técnicos e éticos vigentes.

Você quer saber mais informações sobre tratamentos odontológicos com sedação? Entre em contato com a equipe CEOPAR!

Compartilhe

2020-11-16T22:25:13-03:00
Ir ao Topo